domingo, 15 de julho de 2012

O Apodrecimento Da Educação e Do Professor



Em sociedade a autoridade deve existir, pois sem ela o homem não pode relacionar-se com os outros, ou seja,  com o meio social de interação humana.

A Escola atual esta extremamente permissiva, e não tem autoridade, assim a libertinagem vem imperando, e aliada a isso esta  falta de respeito ao papel do professor na  educação,  sua moral, a sua aurora se perdeu com o passar dos tempos e a extinção da escola tradicional e seus valores também, é certo que algo que não se transforma  e não se projeta para o futuro não traz progresso, mais se a sociedade  tivesse  herdado ao menos  o respeito que se tinha ao  professor em tempos “tradicionais”,  talvez existiria  uma certa atenção por parte da sociedade em relação a esta profissão que hoje anda na neblina, para não dizer nas trevas!....


Quanto vale um médico que trata das funções vitais e da  permanência do corpo?

 Quanto vale um professor que trata dos assuntos relacionados a  formação pensante do indivíduo? 


Ressalvando, que o professor não é o herói da pátria no âmbito educacional, pois existe um conjunto de pessoas, orgãos e políticas, integrados a toda a sociedade que são  responsáveis pelo sucesso ou fracasso educacional, porém quero centrar meu artigo  no papel do professor e sua desvalorização perante a sociedade.

Todas duas profissões são dignas de respeito e merecem honorífico valor, mas esta ocorrendo no Brasil um processo de socialização apodrecedor de que os professores não tem valor, assim  estão  ficando a margem recebendo migalhas  salariais para enfrentar salas de aulas turbulentas.

Não seria a hora de revigorar a moral do professor no país a fim de que se possa dar-se uma maior atenção ao seu papel ?,  um dos cânceres que prejudica isso começa pela socialização.
   
Vejamos uma definição comum de Socialização

Socialização é a assimilação de hábitos característicos do seu grupo social, todo o processo através do qual um indivíduo se torna membro funcional de uma comunidade, assimilando a cultura que lhe é própria. É um processo contínuo que nunca se dá por terminado, realizando-se através da comunicação, sendo inicialmente pela "imitação" para se tornar mais sociável

Existe socialização para tudo o quanto não presta e que é de atenção da grande imprensa por exemplo,  existe a socialização já assimilada pela sociedade de que um médico tem valor, um engenheiro tem valor,  e o professor tem valor ? Claro! todos concebem isso, porém um merecimento desmerecido, e quando isso começar a findar-se , se já não começou, será difícil extirpar esta  socialização, que o professor é um mero boneco e o  apodrecimento de seu papel na sociedade irá fenecer.

Lembra da Amanda Gurgel? A revoltada professora? Se não, veja aqui seu depoimento.



Ela representa bem a desgraça das quais os professores vem sofrendo,  em 2011 seu depoimento  abalou o país, as pessoas  sensibilizaram-se e passou-se os meses e aquela sublime revolta no país  perante a destruição da educação também.

Então a socialização esta findada nos governos de não respeitarem a educação ano a ano, dando uma educação de má qualidade para um povo sempre é mais fácil de domestica-lo, e aliado a isso a descapacitação  dos profissionais da área, esta feito o prostíbulo , ou seja a educação não funciona e a escola representa assim um mero espaço que as pessoas devem ir para dizer que vão.
  
O Estado que deveria garantir que a maquina burocrática de leis e projetos  funcionasse não funciona, e o que acontece é uma verdadeira selvageria, só os mais preparados que são verdadeiros heróis e que acreditam no futuro da educação é que permanecem na batalha de se instruir, adquirindo títulos, pós-graduação, mestrado, doutorado, especialização etc...

E  o somatório destes títulos  por vezes  na questão salarial é desmerecido e recai em greves nacionais  para melhorias salariais, até quando vão continuar escarrando na educação  colocando-a em pratos com fezes para o povo comer?



 Será que nossos filhos vão nascer pensando que seguir carreira de professor é suicídio? Se sim? Só tenho a dizer uma coisa, que a educação seja extinta no Brasil e o povo se autodetermine nesta questão, acho que uma autoinstrução.

___________________________________________________________________________

  Tenho um livro do extinto  partido o  PRONA que tem um artigo do já falecido Dr. Enéas sobre a educação, e que me chamou a atenção, veja o que ele diz sobre a educação.


Baixar

( Um Grande Projeto Nacional Pg. 113)

A educação, esteio de qualquer sociedade, chegou a um nível crítico, inaceitável frente aos recursos gigantescos que são mobilizados pelo erário público para outros fins. E a falha no processo educacional é visível em todos os escalões.

O Salário do Professor.

A questão salarial dos professores não pode ser tratada com o descaso que tem sido a regra normal de procedimentos dos governos.

Toda e qualquer forma de trabalho merece respeito. Mais há certas atividades que, pela sua relevância do ponto de vista social, foram reconhecidas, de que há muito, merecedoras de uma posição de destaque nas diversas sociedades  humanas.

Tal é o caso do Juiz De Direito, do Médico e do Professor!

No passado, não há quem possa negar a auréola com que cada um de nós cercava sua professora do antigo curso primário.

A imagem da professora, com seu nome repetido nos cabeçalhos diariamente escritos em nossos cadernos, acompanhava-nos  por toda a vida e, já adultos, tínhamos momentos de grande emoção ao relembrar aqueles tempos da infância.
 
Destruíram  essa imagem, num processo de falso modernismo que pretende destruir  os valores tradicionais de nossa cultura.

Dr. Enéas Fala Sobre o Conhecimento .



Deixe Seu  Comentário Ele é Importante  e Curta A Postagem Blz?
 
 

7 comentários:

  1. Realmente,hoje a galera so querem seguir a profissão de médico,engenheiro,advogado essas coisas e esquecem da profissão "professor",mas isso também é culpa do governo que não investe nessa área,o Brasil é um dos países onde se paga menores salarios ao professores no mundo,então,a galera hoje quer ganhar dinheiro como o professor não está sendo devidamente remunerado optam por outras areas...enfim

    ResponderExcluir
  2. A situação ta realmente crítica no nosso país, os professores são tratados como nada. E as pessoas se esquecem, que sem professores não existem médicos, advogados, politicos ou o que quer que seja. Pois sem educação, ninguém chega a lugar algum.

    Se puder deopis da uma passada:
    http://ocasamentoquimico.blogspot.com.br/

    Abraço grande!

    ResponderExcluir
  3. Infelizmente as pessoas valorizam muito as coisas banais e esquecem do que realmente importa,a Força de um grande Educador.

    ResponderExcluir
  4. Mesmo não concordando com tudo, principalmente em relação a visão política, já que sou de esquerda (debate que não cabe aqui) vejo que, de fato, o modelo educacional,tanto do ensino básico, quanto do ensino superior, está defasado. Nossas escolas estão ultrapassada, tanto em conteudo, quanto em estrutura. Não falo sobre tecnologia aplicada á educação, como pensa a SEDUC-PE, achando que vai resolver todas as deficiências de um modelo simplesmente equipando as escolas com o que de mais avançado há em matéria de tecnologia. Não é isso que salvará esse modelo, nem tornará os alunos mais interessados. A mudança maior é o investimento no ser humano, numa formação adequada ao docente, algo que tanto o governo do estado, quando o governo federal e as entidades particulares de ensino não oferecem. Nossas licenciaturas estão atrasadas, em conteudo e forma. Os discentes dessa área, em sua maioria, não desejam enfrentar a rotina das salas de aula, e os seus docente pouco se importam em tentar trabalhar com os alunos para que uma visão profissional, sim, falo de sentido de corporação, seja construída, dando identidade de professor ao estudante da licenciatura. Os curriculos não incentivam o futuro professor a ir além, ser pesquisador também, desconstruindo mitos e colaborando na elaboração de novas linguagens didáticas. Primeiro grande nó. O segundo seria o curriculo das salas de ensino básico, que mesmo com as possibilidades estão engessados pela falta de uma boa formação dos docentes e do modo como o modelo cobra dos alunos rendimento. Sou contrário a "ditadura das provas", mas também não sou a favor de, apenas, avaliações globais. Em relação a questões geracionais, vejo que os adolescentes de hoje, de fato, tem mais liberdade e abusam desse direito. Culpa da escola? Sim. Culpa dos país? Também. Culpa do Estado? Sim, as leis deveriam ser adaptadas as demandas do tempo, respeitando, claro, as condições dessa nova geração. O indivíduo na atualidade não sabe usufruir da liberdade que tem, desconhece limites, acha que democracia é a lei do tudo poder, falta uma cultura política mais solida, uma visão cidadã, baseada no humanismo e na construção de laços de afetividade coletivos. O que esperar de uma geração que é formada com uma cultura de violência extrema? Seja em casa, seja na escola, seja nas ruas, o que se vê é uma cultura que celebra o sangue, a competitividade exarcebada e o domínio do mais "forte" sobre os demais. Enfim, temática rica em possibilidades de debate.

    ResponderExcluir
  5. Pos é , vc aii ja disse tudo meu caro !Enquanto não houver a valorização do professor não haverá a formação de profissionais seja lá onde ramo ele quer estar ! Como se diz na canção:Todo um bom começo tem um professor !

    ResponderExcluir
  6. Poderia colocar um exemplo melhor que de um fascistóide Enéas e de um partido idem.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pelo visto você faltou as aulas de História.

      Excluir